Hospedagem de websites – Como escolher o melhor servidor para seu website

Escolher a melhor hospedagem para qualquer tipo de site é uma tarefa complicada.

Entendo perfeitamente a dúvida e por isso criei esse guia.

Olha só:

Testei e trabalhei com dezenas de serviços de hospedagem de websites diferentes e vou te falar quais são os melhores – e também por que são os melhores.

Esse artigo faz parte da série Como Criar um Site. Uma série para iniciantes de como criar um site do zero.

Antes de começar, acho importante deixar algumas coisas bem claras.

  1. Nenhum dos serviços que está aqui é recomendado por que ganhamos comissão. Temos links – até com comissões melhores – de muitos outros serviços que nem chegaram perto de estarem nessa lista.
  2. Naturalmente os links são patrocinados, então se você resolver adquirir um serviço vai nos ajudar muito se for através de nossos links.
  3. Poucos serviços nacionais de hospedagem conseguiram entrar na lista. Eu gosto de dar valor ao que é nacional, mas só se for igualmente bom em comparação ao que temos internacionalmente. Infelizmente poucas hospedagems brasileiras são boas.

1 – O que é uma hospedagem de websites

Afinal, que raios é uma hospedagem de websites?

Como vimos nos últimos artigos da série de como criar seu website, todo site tem um endereço.

Esse endereço, seja ele o de IP ou do domínio, é a localização de um servidor físico em algum lugar no mundo.

Olha só:

Na maior parte das vezes nós não compramos uma máquina e disponibilizamos nossos sites pela internet.

O que fazemos é alugar uma máquina de algum serviço. Igual num hotel, somos hospedes dessa empresa que é dona dos servidores.

Por isso o nome hospedagem de websites.

Os sites são compostos de códigos que funcionam de maneiras diversas para formar páginas como essa. O código do website, então, fica armazenado nesse servidor e toda vez que alguém pede o seu site em algum navegador é na porta desse servidor que essa requisição vai bater.

Se essa parte não fez muito sentido para você, sugiro dar uma olhada nos artigos anteriores da série de como criar um site.

Aí chegamos então à grande dúvida:

Se você fizer uma pesquisa na internet por serviços de hospedagem ou servidores vai ser bombardeado por infinitas possibilidades, nomes e tipos de sites.

Para simplificar essa festa, vamos aos tipos de hospedagem.

2 – Tipos de hospedagem

“Hospedagem compartilhada”, “Cloud hosting”, “WordPress Premium”, “Hospedagem gerenciada”, etc…

O que não falta são nomes para confundir nossa cabeça com relação a esse assunto.

Tem empresa que é dona das máquinas e dos servidores e os vende. Tem empresa que aluga servidores de quem é dono e vende com um programa bonito de criar sites em cima.

Tem até empresa revende de quem está revendendo de quem está revendendo….e não sei quantas pessoas e empresas estão nesse meio do caminho.

Agora, algo que demorei muito a entender:

O mais caro não é necessariamente o melhor, mas é bem provável que o mais barato é uma porcaria.

O que torna um servidor bom, no fundo, é a quantidade de recursos computacionais que estão disponíveis para você utilizar.

O que maioria dos serviços faz é te colocar um computador junto com mais dezenas ou centenas de outros clientes. Afinal, assim que eles fazem dinheiro.

Sim. Já tive muito problema com servidores meus e de meus clientes e descobri essas coisas quebrando a cabeça. Mas, a vantagem é que agora sei muito mais como colocar os sites no ar com o melhor custo benefício.

Inclusive, muitas vezes de graça 🙂

De forma simples, temos 4 tipos de hospedagem:

  1. Compartilhada: quando você não tem nenhuma garantia dos recursos computacionais e compartilha uma máquina – e todos seus recursos – com vários outros clientes.
  2. VPS (Virtual Private Servers): quando você compartilha um computador com outros usuários mas tem garantia de determinados recursos computacionais. Tem parte que é só sua e ninguém mexe.
  3. Servidores dedicados: quando você tem uma máquina inteira só pra você.
  4. Nuvem: quando o serviço de hospedagem abstrai os recursos computacionais e você ou tem a flexibilidade de aumentar ou diminuir esses recursos de acordo com a demanda do seu site ou nem precisa se preocupar com isso.

Vamos explorar um pouco mais a fundo cada um deles e te mostrar quais são minhas recomendações para melhor curso benefício.

3 – Hospedagem compartilhada

Como mencionado acima, nessa categoria de sites os recursos computacionais de um computador são compartilhados entre vários clientes.

Não surpreendentemente, esse é o tipo mais barato de hospedagem e, consequentemente, também o mais comum.

Cada empresa vai chamar esse tipo de hospedagem de um jeito. Uma forma simples de o identificar é se tiver os seguintes:

  • Sites ilimitados
  • Armazenamento ilimitado
  • Transferência ilimitada
  • Bancos de dados ilimitados
  • E-mails ilimitados

Bom demais pra ser verdade? Sim.

Isso tudo é mentira. Não existe serviço ilimitado. Se você der uma lida nos termos de uso eles consideram ‘ilimitado’ sempre até certo ponto.

Ou seja, se você tiver um site muito popular eles vão cortar seu site e falar que precisa contratar um plano melhor.

Contudo, alguns poucos serviços de hospedagem compartilhada são realmente bons.

Você vai compartilhar recursos com outros clientes? Sim, mas as máquinas são melhores e eles adicionam menos usuários por servidor.

Uma característica bacana das hospedagens compartilhadas é que elas normalmente vem acompanhadas de um gerenciador visual para a instalação de softwares – como o WordPress – ou criação de e-mails.

Por essa característica eles são mais recomendados para iniciantes.

Com os serviços que recomendo abaixo é possível começar e até ter websites populares com bastante velocidade. Isso tudo pagando bem pouco.

Seguem as recomendações:

GreenGeeks

O GreenGeeks, além de ser um servidor que se preocupa com o meio ambiente um pouco mais, foi o mais rápido num estudo feito por um um YouTuber chamado Darrel Wilson.

Preço baixo e velocidade fazem desse serviço minha escolha principal. Trabalho com eles e tenho clientes que recebem milhares de visitantes diariamente que o utilizam.

Confira o GreenGeeks

SiteGround

Assim como o GreenGeeks, o SiteGround é um dos mais rápidos do mercado. Uma coisa que gosto deles é que destrincham exatamente os limites e a quantidade de recursos que pode utilizar.

São um pouco mais caros, mas o suporte é dos melhores que já vi.

Confira o SiteGround

4 – Servidores VPS

Avançando para os Virtual Private Servers, temos uma quantidade um pouco menor de competidores.

Muitos serviços mais populares vão também oferecer esse serviço, mas sugiro focar naqueles que trabalham exclusivamente com VPS.

É possível começar com um pequeno servidor de uns US$ 5 por mês e já ter uma performance melhor do que a da maioria dos serviços compartilhados.

A parte mais complicada é que o que você contrata é só a máquina, então, diferentemente dos compartilhados, você não tem uma interface bonita para instalar o WordPress ou outros softwares.

Na parte 7 desse guia de como criar um site mostro como você pode fazer para instalar um serviço chamado Runcloud gratuitamente que facilica muito esse processo sem ter que utilizar um servidor compartilhado.

Minha recomendação de VPS:

Digital Ocean

Utilizo o Digital Ocean desde 2012 e é, na minha opinião, o serviço que mais avança na gestão de VPS. São muitos anos que acompanho o desenvolvimento da plataforma deles e cada vez fica melhor e mais fácil de usar.

O que não falta são artigos e documentação sobre eles, então é bem tranquilo para se aventurar.

Confira o Digital Ocean

5 – Servidores dedicados

Esse tipo de servidor é pro tipo de empresa grande que recebe uma grande quantidade de visitantes e também tem que se adequar a padrões de segurança mais estritos.

Para a maior parte das pessoas, essa aqui não é uma opção muito boa, pois os servidores dedicados são extremamente caros e complicados de se configurar sem a presença de um especialista.

De forma mais simples, vou recomendar o LiquidWeb pois é uma empresa que atua muito forte com grandes clientes e tem um serviço muito bacana.

6 – Hospedagem na nuvem – Cloud

No caso da hospedagem na nuvem, temos uma gama muito grande de opções.

Aqui o que é mais notório é a capacidade que os servidores tem de “crescer” junto com o crescimento do site.

Isto é, se você está recebendo apenas algumas centenas de visitantes por mês, pode ter uma máquina menor e mais simples.

Assim que seu site viraliza ou cresce, o servidor aumenta. Você paga mais, mas todos os visitantes vão poder navegar sem problemas.

Essa elasticidade traz benefícios, mas não é o tipo mais barato de hospedagem e definitivamente não é o mais simples.

Recomendo esse tipo de serviço para quem já tem um pouco mais de conhecimento técnico e deseja criar um site que é difícil prever seu crescimento.

Vai haver apenas um momento que vou recomendar para pessoas menos técnicas, mas veremos mais pra frente nessa série de como criar um site.

O serviço que recomendo mais fortemente aqui é o AWS (Amazon Web Services). Se você não conhece o AWS, apresento a você o sistema que hospeda a maior parte das empresas de tecnologia que usamos, tipo Netflix.

Confira a AWS.

Outra opção, que é um pouco diferente, que é legal e nacional é o Umbler.

Ele tem umas opções de criação de websites bem baratas e abstrar a noção de recursos computacionais para dar ao usuário um serviço mais em conta. vale a pena dar uma olhada.

Confira o Umbler.

7- Hospedagem para websites estáticos

Resolvi deixar uma parte separada aqui para hospedagem de sites estáticos.

Um site estático é um site que não precisa de um banco de dados para armazenar suas informações.

Tudo que ele precisa é dos arquivos HTML que são enviados para os navegadores quando um usuário faz uma requisição no servidor.

Deixei separado pois existem opções diferentes de hospedagem desse tipo de site.

A melhor parte:

São gratuitos!

Minha recomendação aqui é o Netlify. Utilizo ele para vários websites e consegui já economizar milhares de reais meus e de clientes com o uso dessa plataforma.

Mais pra frente no guia vou mostrar exatamente como podemos criar um site estático e hospedá-lo gratuitamente no Netlify.

Conclusão

Ao longo desse artigo passei pelos diversos tipos de hospedagem de websites e quais são minhas recomendações para cada um deles.

No entando, o que é mais importante aqui é entender como que as hospedagens funcionam e ter um pouco mais de parâmetro para decidir qual será o serviço que contratará.

Reforço o pedido para utilizar um de nossos links para a contratação do serviço. Assim você nos ajuda a continuar produzindo conteúdos informativos como esse 🙂

Agora que já passamos na série de como fazer um site pela aquisição do domínio e hosedagem, está na hora de por a mão na massa e começarmos a criar nosso site.

Divirta-se!

Gostou do artigo?

Facebook
LinkedIn
Pinterest
WhatsApp
André Lug

André Lug

Apaixonado por design e desenvolvimento de websites. De vez em quando gosta de escrever sobre produtividade, como é ser um freelancer e algumas reflexões da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *