Como acompanhar as estatísticas do seu site: Google Analytics, Jetpack e outros

Uma das formas mais efetivas de compreender o sucesso ou não de um site é através das estatísticas de acesso.

Comumente usamos o nome Analytics do Inglês para nos referir às informações sobre as pessoas que acessam nossos sites.

Quantas pessoas entraram? Quanto tempo ficaram no site? De onde são essas pessoas? Como elas chegaram até o site? Quais são as páginas mais visitadas?

Esses são alguns exemplos de informações que podemos obter através dos serviços de estatísticas de visitas como o Google Analytics, Jetpack, Amplitude, Hotjar e outros.

Vou comentar nesse artigo um pouco sobre a importância dos serviços de estatísticas, o que é mais importante observar neles, quais os tipos e minhas recomendações dos serviços a contratar. Vale dizer que todos mencionados ou são 100% gratuitos ou possuem versões gratuitas.

Esse artigo faz parte da série Como Criar um Site. Uma série para iniciantes de como criar um site do zero.

1 – Tipos de analytics

Dividir os tipos de estatísticas para websites é uma tarefa bem subjetiva. Isto é, há diversas formas de categorizar e não necessariamente um jeito completamente certo.

No entanto, para ajudar no entendimento eu vou dividir entre três tipos:

  1. Estatísticas de engajamento
  2. Estatísticas de pessoas
  3. Estatísticas de funil

Estatísticas de engajamento

Considero esse tipo de analytics como o mais comum de todos e representando os exemplos que dei acima como quantas pessoas acessaram o site, de onde vieram e para onde foram.

Quando você instala serviços de analytics no seu site, esse é o tipo de informação que já vem ‘de fábrica’. Em geral, os dados são sempre anônimos e o que mais importa são os números e padrões finais.

Naturalmente, esse é o tipo de informação que é sempre importante de acompanhar e, ao mesmo tempo, mais generalista. Ou seja, são estatísticas que, apesar de todo mundo precisar ter e saber delas, provavelmente não vão representar as métricas mais importantes para o sucesso do seu site.

Estatísticas de pessoas

Uma outra forma de entender o analytics é através de padrões de uso que determinadas pessoas tomam. Em vez do anonimato, nesses casos buscamos identificar as pessoas e acompanhar cada indivíduo na sua jornada pelo site.

No Facebook, por exemplo, você tem um histórico de ações que realizou desde que se registrou na plataforma. Com isso, a empresa consegue entender o que você gosta, quem legitima e quais produtos precisa para recomendar as melhores publicidades para você.

Entender o uso do site através de um olhar mais individual ajuda a formar estratégias mais personalizadas.

Naturalmente, para esse tipo de estatística web funcionar é preciso que você – de alguma forma – consiga identificar um usuário. O login/registro é normalmente a forma mais comum.

Estatística de funil

Resolvi destacar esse tipo de analytics pela sua importância na conclusão de metas para qualquer negócio online.

Podemos dizer que quando o foco é no funil de vendas, o mais importante é a taxa de conversão em cada etapa do funil.

Se você está um pouco perdido sobre o que falei, vou tentar explicar brevemente.

Quando criamos um site, imaginamos um caminho que o usuário deve percorrer até que conclua sua jornada com as possibilidades que disponibilizamos.

Se o objetivo do site é fazer a venda de um produto, o caminho pode ser:

  1. Clica numa publicidade no Facebook do produto
  2. Acessa a página do produto
  3. Clica no botão “Comprar”
  4. Acessa o carrinho
  5. Acessa a página de conclusão de compra
  6. Paga
  7. Acessa a página de obrigado

Esse caminho pode ser analisado como um funil, pois na primeira etapa você pode mostrar sua publicidade para 1000 pessoas, mas apenas 500 vão clicar nela. Das pessoas que clicaram e acessaram a página do produto, não vão ser todas que vão clicar no botão comprar.

Por aí vai.

Em cada nova etapa o número de pessoas vai diminuindo e por isso chamamos de funil.

A taxa de conversão, por sua vez, é a quantidade de pessoas que passam de um estágio para o outro. Quanto maior essa taxa, maior será o sucesso desse site.

Existem vários sistemas de analytics que nem se preocupam muito com os usuários ou a quantidade deles, mas sim com essa taxa de conversão.

2 – Importância do analytics

Se você está acompanhando essa série de Como criar um site então talvez já tenha percebido que insisto que é importante ter sempre em mente um objetivo para a existência do site.

Seja para vender algo ou simplesmente para servir como diário, ter um objetivo é importante. Em especial para os sites que servem para o uso público, a forma de conferir se o site está indo no caminho certo é através das estatísticas.

Usamos serviços de analytics pois o site por si só não tem a capacidade de saber das suas visitas. Os servidores e alguns serviços de hospedagem oferecem variadas formas de analisar, mas mesmo assim poucas são as realmente boas igual os serviços que mostrarei abaixo.

Resumindo, se você quer analisar o desempenho do seu site, utilize um ou mais serviço de analytics.

Sim, você pode usar vários ao mesmo tempo.

3 – O que analisar?

Legal, tudo isso é muito bonito mas o que realmente precisamos prestar atenção na hora de analisar? Afinal, existem centenas e centenas de métricas e informações diferentes.

Veja só:

Mesmo que serviços como o Google Analytics te mostrem milhares de inforações, nem todas elas são importantes. Na verdade poucas as informações são realmente importantes.

Quando eu comecei a criar sites eu ficava um tempão vendo as estatísticas do site, mas no fundo eu só estava…vendo. Não estava analisando.

Analisar (que daí vem o nome Analytics), é quando você compreende um dado e o utiliza para tomar melhores decisões ou compreender melhor uma situação.

Por isso, voltamos ao propósito do seu site. Porém, antes vale a pena distinguir entre dois tipos de métricas:

  • Métricas de vaidade
  • Métricas de negócio

Métricas de vaidade são aquelas que simplesmente lidam com nosso orgulho, status e, como o nome já diz, vaidade.

Na maior parte dos casos, o número de visitantes de um site não é importante. Da mesma maneira, no Facebook o número de likes é praticamente irrelevante. No Instagram, uma curtida na sua foto não vai fazer diferença.

Métricas assim só são legais. Servem para chamar atenção.

Já as métricas de negócio são os dados que representam um avanço do negócio ou site de acordo com o seu objetivo. Se o objetivo é a venda de um produto, então as métricas do funil são super importantes e só perdem para a grande métrica: número de vendas.

Já para um blog que ganha seu retorno financeiro pela quantidade de visitantes, aí sim esse número passa a ser o mais importante.

Para um site institucional, talvez a métrica mais importante seja os cliques no número do WhatsApp ou formulário de contato para fazer um orçamento.

Por aí vai.

Pegando por um outro lado – e já me contradizendo para mostrar que a vida é complexa – todos os números tem seu valor e podem ser observados para ajudar a compreender melhor. Sendo de vaidade ou não, toda estatística pode ser analisada e contribuir para a visão geral. Não necessariamente são as mais importantes ou decisivas, mas ajudam.

Então, para não te deixar 100% na subjetividade, vou apontar alguns pontos de partida.

  • Número de visitantes: Sempre importante acompanhar, mas é mais importante em sites que dependem desse número por si só para sobreviver ou para satisfazer aos objetivos de suas existências.
  • Taxa de rejeição: Essa métrica significa a quantidade de pessoas que acessaram o site e saíram pela mesma página que entraram. Quanto maior esse número, menos interessante o seu site é para a pessoa, então é um bom indicador se você deseja que as pessoas naveguem mais e conheçam o seu contéudo.
  • Páginas mais acessadas: Importante analisar essa métrica para identificar qual o conteúdo ou produto que seus usuários estão mais acessando. Também, serve para identificar oportunidades que suas páginas estão sendo compartilhadas ou melhor ranqueadas no Google.
  • Tempo de carregamento: Super importante observar pois o seu site precisa ser rápido para não atrapalhar a navegação dos usuários. Sugiro que esse número esteja sempre abaixo de 2 ou 3 segundos.
  • Taxa de usuários antigos: Importante analisar a frequência com que seus usuários estão retornando ao site se ele depende desse engajamento constante.

4 – Serviços de analytics

O que não falta nessa internet são serviços de analytics. Tem pagos e gratuitos, ruins e bons.

Aqui vou citar 5 exemplos de serviços que gosto e te mostrar brevemente por que os recomendo.

Google Analytics

Para começar, vamos com o serviço mais utilizado em toda a internet. Por ser super poderoso e gratuito, o Google Analytics se desenvolveu imensamente desde sua criação e hoje pode atender à maior parte das necessidades possíveis do website comum.

Frequentemente utilizamos serviços diferentes, mas em geral mesmo assim ainda está lá o Google Analytics sendo carregado mesmo que “só pra tá lá”.

Com ele você vai ter todas as informações básicas de uso do seu site, exceto a identidade das pessoas pois o Google não autoriza você enviar dados pessoais para o sistema.

Mixpanel

Diferente do Google Analytics, o Mixpanel tem seu foco nos dados pessoais, então é mais recomendado para sites que possuem um sistema de login e que você precise analisar como os usuários navegam pelas partes internas e/ou externas dessa sua aplicação.

Ele é um serviço pago até certo ponto. O famoso Freemium. Então se você não é extremamente popular, não vai precisar pagá-lo. Ele é muito popular com aplicativos mobile também.

Amplitude

Esse serviço de analytics tem seu foco em um outro tipo de dado que ainda não mencionei aqui no artigo. Os eventos!

Eventos nada mais são do que qualquer ação que você deseja mensurar dos seus usuários. É possível enviar eventos personalizados para a maior parte dos serviços de analytics, mas o Amplitude fez deles seu foco.

Recomendo para sites que não se encaixam muito nos padrões e fluxos mais tradicionais. Sites que tem como importante o uso de mecânicas ou funcionalidades customizadas.

Hotjar

Compreendendo os tipos de analytics que vimos, o Hotjar é a melhor escolha para a análise de funis. Mesmo com sua versão gratuita você pode criar e analisar de forma muito simples os funis do seu site e ainda ganha de brinde mapas de calor e outras análises relacionadas muito bacanas.

Jetpack

Como nessa nossa série de Como criar um site estamos usando o WordPress com frequência, o Jetpack é um plugin super antigo e famoso que dá à sua própria instalação do WordPress um serviço de analytics próprio.

Apesar da parte do analtyics ser apenas um pedaço do plugin – ele tem dezenas de ferramentas -, essa é uma das principais e mais utilizadas.

Eu recomendo o uso dele para sites que estejam hospedados em serviços um pouco melhores pois em servidores baratinhos demais esse é um plugin que pode deixar o seu site mais lento.

Conclusão

Nesse artigo passamos por vários aspectos relacionados com o analytics e as estatísticas de sites.

Mensurar e analisar as métricas são partes fundamentais da manutenção e crescimento de qualquer website.

Sugiro sempre tomar ações e fazer melhorias que estejam baseadas nos dados coletados. Um exemplo disso é aqui mesmo na Iglu. Escrevo determinados artigos pois sei que são muito procurados pelos leitores. Ao mesmo tempo, escrevo de determinado jeito pois entendo que a retenção e leitura são influenciados por isso.

Se você gostou, deixa um comentário abaixo com suas impressões, dúvidas e sugestões.

Divirta-se!

Gostou do artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
André Lug

André Lug

Apaixonado por design e desenvolvimento de websites. De vez em quando gosta de escrever sobre produtividade, como é ser um freelancer e algumas reflexões da vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *