Como gerar tráfego e divulgar o seu site

É muito bom ter um site que é visto por milhares de pessoas.

Mas o que fazer de fato para isso acontecer?

Temos que pensar em como gerar tráfego para nosso site. Mais do que isso, como fazer com que visitantes que realmente estejam interessados no nosso conteúdo cheguem ao nosso site.

Isso se chama tráfego qualificado.

Nesse artigo eu vou te apresentar algumas estratégias de divulgação, distribuição e geração de tráfego online para que seu site não fique acumulando poeira em um canto da internet.

Também, vou te ensinar como entender o melhor tipo de distribuição dos seus conteúdos nas redes sociais, diretórios e outros sites.

Esse artigo faz parte da série Como Criar um Site. Uma série para iniciantes de como criar um site do zero.

Também relacionado com esse texto, sugiro os seguintes artigos:

Sem mais delongas, vamos ao conteúdo.

1 – A importância do tráfego

Desde o início dessa série de como criar um site estou falando sobre o entendimento do propósito de um site.

Considerando que a maior parte dos propósitos envolvem a exposição de conteúdos e oportunidades, o tráfego é um fator importantíssimo para o sucesso do seu site.

Uma ideia comum e errada que muitas pessoas tem é que basta criar um site que as pessoas vão chegar até ele.

É o famoso “criar algo e rezar para alguém ver”.

A quantidade de vezes que essa estratégia funciona é tão baixa que podemos considerar que simplesmente não funciona.

Precisamos escolher alguma estratégia, testar e entender o que funciona melhor para nosso caso.

Estratégias de um blog de moda não vão funcionar tão bem para um e-commerce para produtos pet.

Estratégias para um site institucional não vão funcionar tão bem para um portfólio de freelancer.

Por aí vai.

Então é importante ter em mente que não só precisamos refletir sobre qual tipo de estratégia funciona para nosso nicho e tipo de site como também devemos testar sem o olhar de certeza que algo vai funcionar, mas sim um olhar de aprendizado.

Outra coisa que vale a pena dizer é que a maior parte das estratégias precisa de duas coisas:

  • Consistência
  • Constância

É preciso executar com qualidade a estratégia por um bom tempo consistentemente para que ela tenha algum efeito. Às vezes são algumas semanas, mas algumas precisam até de anos para realmente funcionar. Ao mesmo tempo, outras são imediatas.

Abaixo vou apresentar várias estratégias para vários casos. No entanto, não vou aprofundar em suas execuções. Posso sugerir próximas leituras ou estudos, mas o objetivo é expandir seu olhar sobre o assunto.

2 – Tipos de tráfego online

Qualquer forma de gerar visitas para nossos sites pode ser considerada uma um tipo de tráfego.

Alguns exemplos:

  • Redes Sociais
  • Sistemas de busca (ex: Google)
  • Parceiros e links em outros sites
  • E-mail marketing
  • Publicidade paga online (Facebook, Google, etc)
  • Outdoor
  • Patrocínio em eventos
  • Flyer
  • Rádio
  • Conversas pessoais

Sim, até mesmo você dizer para alguém na rua para entrar no seu site é um tipo de tráfego.

Aqui nesse artigo eu não vou explorar as formas de divulgação offline. Isto é, qualquer forma de distribuição do seus conteúdos e sites via meios não digitais não será abordada.

Não vou abordar por dois motivos:

  1. Eu não entendo como funciona.
  2. Não acredito que vale a pena para 99% dos casos

Atualmente é bem mais barato, rápido e fácil criar estratégias online em comparação com estratégias mais tradicionais e offline.

Todo tipo de estratégia pode funcionar para um ou outro caso. Antes de descartar uma possibilidade, tente achar referências de concorrentes ou colegas do mesmo ramo e identificar o que funciona.

Cuidado especial com o apego

Algo que temos que sempre ter em mente é que não é bacana dependermos demais de uma única fonte de tráfego.

“Não construirás vosso império em terras alugadas” _ qualquer guru da internet.

Uma mudança de algoritmo e toda uma estratégia vai pro saco.

Não devemos ter apego demais em um ou outro tipo de fonte de tráfego. É bacana estarmos presentes em várias redes sociais, sistemas de busca e por aí vai.

Basta uma rápida pesquisa para encontrar indivíduos reclamando de suas redes sociais nas quais construíram seus impérios.

YouTube, Google, Facebook, Instagram, Pinterest, Snapchat, etc, etc. Não só não temos a garantia que existirão no futuro como temos menos garantia ainda de que continuarão funcionando da mesma maneria que é hoje.

Vamos investir nosso tempo e dinheiro nessas plataformas pois os retornos, mesmo a curto e médio prazo, são bons. Mas acredito que devemos ter sempre um olhar atento e desapegado caso alguma dessas ferramentas pare de contribuir para nossos objetivos.

Uma boa forma de pensar é que você está nas redes sociais, YouTube, Google, etc como um visitante. Ali de bobeira cativando pessoas e as direcionando para sua própria terra. Em outras palavras, aproveita dessas redes para conquistar pessoas para que elas visitem seu site ou então deixem os e-mails ou telefone delas com você.

3 – Distribuição em redes sociais

O que não faltam são redes sociais. Elas vem, vão e, em geral, nos ajudam muito em distribuir nossos websites.

Vou apresentar algumas vantagens dos principais serviços hoje juntamente com ideias e estratégias para você implementar na divulgação dos seus sites.

O que compartilhar

Uma dúvida frequente com relação às redes sociais é o que compartilhar nelas.

Links do site? Novidades do que fazemos? Conteúdos sobre o mercado? Links de outros sites e empresas relacionados? Frases prontas? Imagens bonitas?

Na verdade, tudo vai depender do tipo de impacto que você deseja causar e qual o seu objetivo.

A regra de ouro é pensar no equilíbrio entre os seus objetivos e o que o seu público ideal gosta.

Se você é do meio de tecnologia, pode ser uma boa opção compartilhar informações, tutoriais e até imagens engraçadas sobre assuntos que interessam desenvolvedores, por exemplo. Frases inspiracionais prontas ou novidades da sua vida pessoal pode não ser bem o que esse público gosta.

Se seu objetivo é vender um curso de desenvolvimento web, no meio dessas postagens vale a pena incluir também a divulgação do curso mandando os usuários para o seu site para conhecer mais. Considerando que você está sempre gerando valor para a audiência, seus seguidores vão te legitimar e provavelmente querer saber mais sobre o curso.

Um perfil de rede social que só tem o objetivo de venda, venda e venda tem dificuldade de crescer.

Você compartilharia uma propaganda de um serviço de consultoria em marketing digital de alguém que segue? Provavelmente não. Mas você compartilharia um guia gratuito de como configurar suas redes sociais ou talvez uma piada do seu mercado.

Mais pessoas curtindo e compartilhando suas publicações, maior a sua visibilidade. Maior o alcance, mais pessoas vão te legitimar. Maior a legitimidade, mais fácil levar pessoas para nossos sites para executar as ações que desejamos neles.

Se possível, para cada autopromoção que fizer, gere pelo menos outras 9 publicações que geram valor à sua audiência.

Referências para se aprofundar:

Observação: Alguns links estão na língua Inglesa. Se não está confortável com a língua, aproveite a funcionalidade do Google Chrome de tradução das páginas inteiras para ler o conteúdo.

Estratégias para Facebook

O Facebook, sendo a rede social “pau pra toda obra” acaba sendo interessante para a distribuição de vários tipos de websites.

Mesmo que você não preste tanto atenção nessa rede, vale a pena ter uma página criada e configurada bonitinha com as informações do seu site.

Algumas informações relevantes para preencher:

  • Logo
  • Imagem de capa
  • Link para o website
  • Post em destaque com uma breve explicação sobre o site ou então algum post popular
  • Descrição ou sobre
  • Configurações de serviços ou produtos caso faça sentido para seu site/negócio
  • Atualização de eventos caso faça sentido para seu site/negócio
  • Endereço físico caso faça sentido para seu site/negócio

Uma página bem organizada e configurada vai te ajudar no momento que alguém buscar informações sobre você ou sua empresa no Facebook.

Mesmo que não tenha muitas curtidas, se passar a impressão de que não está abandonada vai servir como ponto de legitimação para quem pesquisa. Também, indivíduos que curtem sua página terão, mesmo que pouco organicamente, acesso às suas postagens e divulgações.

Com o passar do tempo e a frequência, a quantidade de visualizações, compartilhamentos, likes e cliques para seu site podem aumentar.

Sugestões gerais

Se você deseja investir bastante no Facebook, esteja preparado para produzir conteúdo em vídeo e texto. Divulgar apenas o link para seu site não vai atingir muitas pessoas.

O alcance dos vídeos são melhores.

No entanto, o Facebook é uma ferramenta bem gananciosa. Então, provavelmente terá que investir um pouco de dinheiro na distribuição desse conteúdo tanto para que seus seguidores os vejam quanto para atrair novos seguidores.

Não posso te passar exatamente um número de posts por semana ou dia que funciona. Pois no fundo, quanto mais…melhor.

No entanto, é mais importante você ter constância e consistência na qualidade e frequência. Chegar num dia e postar 15 vídeos e não postar mais nada durante dois meses não é bom.

Vale mais a pena postar 1 ou 2 por semana ao longo do período.

Avaliações

Resolvi deixar uma observação específica sobre as avaliações. Se você possui um negócio online ou offline, vale a pena pedir aos seus clientes para deixar avaliações no seu Facebook.

Boas avaliações funcionam como prova social para que novos clientes confiem ainda mais na sua marca.

Quanto mais avaliações positivas e reais de clientes, menor é a barreira entre você e um(a) novo(a) cliente.

A dica é simplesmente pedir, por exemplo no e-mail de conclusão de compra, para a pessoa deixar uma avaliação no seu Facebook. Deixe o link para facilitar.

Conteúdo

Se você possui um blog, é muito fácil você divulgar no Facebook sempre que criar um novo post.

A porcentagem de pessoas que vão ver é pequena, mas, igual comentei, com o tempo isso vai melhorando e pode até se tornar muito relevante se você aproveitar de investimentos pagos nessa divulgação.

É bom ter consistência pois quem te segue no Facebook também segue outras mil páginas. Se você some por muito tempo, as pessoas esquecem que é.

Lives

O Facebook ainda dá uma visibilidade boa para quem faz lives. Se você tem o que compartilhar com sua audiência de forma regular, vale a pena usar dessa ferramenta também para divulgar e discutir sobre os seus conteúdos do seu site.

Grupos

Uma estratégia já bem batida de gerar tráfego é compartilhar posts ou conteúdos do nosso site em grupos.

É importante ter a consciência de que autopromoção não é muito bem-vinda em grupos sérios e pode acabar até fazendo com que seja excluído(a) daquele ambiente.

Para que uma estratégia dessa funcione, é preciso realmente contribuir com aquele grupo por um tempo. Comentando nas perguntas dos outros. Ajudando os colegas.

Devagar, pode introduzir algum link próprio que seja relevante para aquela comunidade.

Messenger

Já há algum tempo temos visto os Bots para o Messenger e outras soluções para ajudar na distribuição do conteúdo.

A ideia é que um usuário pode autorizar a sua página a enviar conteúdos diretamente via mensagem.

Tem algumas ferramentas, como o Manychat, que te ajudam nesse processo.

Referências e próximos estudos:

Estratégias para Instagram

O Instagram tem sido muito bom para uma grande diversidade de tipos de website, profissão ou negócio.

Digo bom porque a quantidade de pessoas que ainda tem acesso sem precisar pagar é substancial.

Através de hashtags, marcações de locais e conteúdo interessante é possível já começar.

Novamente, aqui a constância e a consistência de qualidade é fundamental para o sucesso.

Não podemos afirmar com certeza a respeito dos algoritmos, mas temos forte indicadores de que a frequência constante de publicações ajuda na sua visibilidade aumentando a parcela de pessoas que visualizam as suas fotos e stories.

Ao mesmo tempo, quanto mais pessoas engajam seus conteúdos, para mais pessoas esse conteúdo também será distribuído.

Imagens

Apesar de usarmos o Instagram para várias coisas (eu mesmo uso para compartilhar algumas reflexões e dicas para profissionais freelancers), ele é uma rede social de imagens.

Tendo isso em mente, o investimento em imagens – gráficas ou fotos – vale muito a pena.

Quando mais interessante sua imagem, maior a chance dela se destacar entre as outras milhares de imagens que passam nos feeds de nossos seguidores.

Qualidade significa tanto a imagem estar nítida e bem organizada quanto que ela represente algo que tem a ver com o que seu público legitima.

Não adianta você ter um site sobre sua empresa de culinária japonesesa e ficar publicando imagens no Instagram de gatos bonitinhos na esperança de aumentar o seu tráfego.

Boas imagens relevantes daquilo que você quer ser reconhecido(a).

Conta business – de negócios

Uma conta normal do Instagram possui algumas restições de funcionalidades. Se você for nas suas configurações verá uma opção para tornar sua conta em uma conta business. Uma conta de negócios.

Essa alteração vai adicionar alguns campos a mais na sua conta, como de contato, mas o principal é que ela te dará informações importantes sobre sua audiência.

Idade média, gênero, horários que as pessoas estão mais ativas e por aí vai.

Você pode utilizar essas informações para compreender se as suas publicações estão funcionando de acordo com o esperado e também pensar em novas estratégias condizentes com o público que realmente está te seguindo.

É interessante pois às vezes acabamos atraindo tipos de pessoas que não esperávamos.

Hashtags e locais

Usuários no Instagram estão pesquisando por hashtags ou locais o tempo todo. Tanto nos stories quanto nas publicações do feed.

Por isso, recomendo sempre marcar uma localização (se fizer sentido) e também procurar hashtags.

Igual como analisamos palavras-chave, escolher uma hashtag popular tem a vantagem de ter mais gente procurando. Mas você precisa competir com mais pessoas também.

Escolher uma hashtag mais específica vai impactar menos pessoas mas talvez você tenha mais chance de ser reconhecido no meio de todos.

Recomendo uma mistrua dos dois tipos para ‘tentar a sorte’ nas populares e ser mais certeiro nas específicas.

Naturalmente, todas elas devem ter a ver com sua publicação e, esperançosamente, com o tema do seu site ou negócio.

Stories

Diferente das publicações do Feed, os Stories tem uma janela de tempo que eles ficam disponíveis. Isso faz com que seja uma excelente plataforma para testar conteúdos.

O algoritmo do stories é diferente do feed, mas segue o mesmo princípio de que quanto mais interação, para mais pessoas ele vai aparecer.

A competição pelos primeiros colocados na lista de stories das pessoas é enorme. Por isso, no início é bem provável que os números de pessoas que tem acesso aos seus stories seja baixo em comparação ao número de pessoas que te segue.

Não tem problemas. Com o tempo e recorrência esse número tende a melhorar.

Algumas ideias interessantes para fazer no stories:

  • Sempre que publicar um conteúdo novo no seu site, comente sobre ele nos stories e fala para as pessoas o acessarem.
  • Utilize a ferramenta de perguntas para pegar ideias sobre conteúdos e, quem sabe, até coletar e-mails direto no Instagram.
  • Comente sobre notícias do seu mercado ou nicho trazendo sua opinião.
  • Mostre um pouco dos bastidores do seu negócio.

IGTV

O IGTV é especialmente bom quando você quer dar um pouco mais de detalhes e informações sobre determinado assunto.

Vale a pena explorar essa ferramenta pois o número de pessoas disputando a atenção lá ainda é um pouco menor do que nos stories ou feed.

Sugiro esse artigo para fazer a configuração do seu canal por lá.

Lives

A melhor forma de interagir com sua audiência é ao vivo. Se você for um pouco tímido(a), vai aos poucos aparecendo nos stories até chegar nas lives.

Há muita vantagem em fazer lives pois o Instagram te coloca em destaque para alguns dos seus seguidores.

Algo que sugiro, é avisar nos stories algumas horas ou até dias antes que vai fazer uma live ou então manter um ritmo constante de sempre entrar em determinados dias e em determinadas horas. Assim, seus seguidores podem se programar ou até esperar para ter você online.

Podemos utilizar as lives para muitas coisa, entre elas:

  • Discutir algum assunto importante do nicho que está
  • Passar novidades para sua audiência
  • Entrevistar alguém em uma live compartilhada

Referências

Estratégias para LinkedIn

Ao contrário do Facebook e Instagram, o LinkedIn possui um caráter um pouco mais formal e profissional.

Naturalmente, esse caráter pode ou não ser seguido por você em suas publicações de acordo com o seu jeito de agir.

Em relação a algoritmos, o seu alcance nas publicações no LinkedIn ainda parece ser um pouco maior do que o Facebook.

Essa rede social pode servir como currículo e também como rede social para divulgação de seus projetos, conteúdos ou trabalhos.

Perfil

Parte que difere o LinkedIn de outras redes sociais é a quantidade de informações que você pode adicionar sobre sua história.

Inclusive, se quiser ser mais visto na plataforma como indivíduo ou empresa vale muito a pena gastar um tempo preenchendo todos os campos possíveis – inclusive descrições detalhadas.

Se você deseja levar tráfego para seu site a partir do seu perfil, é importante mencionar ele no seu histórico e também como um destaque.

Caso tenha configurado como uma empresa, também vale a pena buscar completar todas as informações bem detalhadamente.

Textos

Uma funcionalidade bacana do LinkedIn é a de blog. Você pode criar textos diretamente na plataforma e compartilhar por lá.

“Mas isso não vai tirar tráfego do meu site?”

Na verdade, depende. O que eu faço, por exemplo, é mencionar a fonte do texto que publico no LinkedIn mostrando que ele foi originalmente publicado no meu blog.

O alcance das publicações diretas na plataforma é maior do que se eu simplesmente compartilhar o link no meu feed, então vale a penas para contribuir para o crescimento da sua marca como um todo.

No final das contas, ser mais conhecido vai gera mais tráfego para seu site.

Feed

Depois de passarmos pelo Facebook e pelo Instagram aqui não tem muito mistério.

Consistência, constância e bons conteúdos vão fazer você sempre aparecer para seus seguidores e começar a também aparecer para outras pessoas.

Conteúdos mais sérios ou profissionais acabam tendo mais visibilidade e atenção no LinkenIn, então esse tipo de conteúdo provavelmente será mais compartilhado.

Grupos

Muitos grupos no LinkedIn são bem ativos e você pode aproveitá-los para gerar tráfego para seus sites.

Fazer parte de grupos do seu nicho é importante, mas também é muito válido estar dentro de grupos que os seus potenciais clientes estão.

Por exemplo: Eu desenvolvo websites e é bacana compartilhar minhas coisas em grupos desse nicho. No entanto, quem contrata meus serviços em geral não são meus colegas de trabalho. Se eu entrar num grupo de profissionais em agências de marketing, por exemplo, é capaz de conseguir mais conexões profissionais e tráfego qualificado para meus sites e conteudos.

Atenção, assim como no Facebook, a autopromoção não é bem vista sem contexto. Participe e contribua com o grupo por um tempo e vez ou outra compartilhe conteúdos relevantes para aquela comunidade.

Referências:

Estratégias para Medium

Se você ainda não conhece, o Medium é uma mistura de blog coletivo com rede social.

Você pode criar seu perfil e…bom…criar textos.

A vantagem é que você compartilha a plataforma com outras muitas pessoas e também possui um feed de novidades.

Podendo seguir e acompanhar pessoas ou empresas, fica fácil de receber recomendações de conteúdos.

A forma como considero melhor para aproveitar dessa plataforma é utilizando a ferramenta de importação de artigos diretamente do seu blog.

Digo isso pois sempre prefiro ter a fonte original do meu conteúdo “na minha terra” e não em terra alugada.

Como o Medium adiciona a tag “Canonical” nos artigos importados, você não precisa se preocupar com penalidades de conteúdos repetidos pelo Google em seus ranks de SEO.

Reproduzindo todos os seus textos no Medium, você ganha mais audiência e, por consequência, ganha também mais visibilidade no seu site.

Referências:

Estratégias para Pinterest

O Pinterest é uma plataforma que tendemos a subestimar – eu pelo menos não tinha muita crença na sua habilidade de gerar tráfego até recentemente.

No entanto, se você está em um mercado que pode ser representado com imagens bacanas, terá uma rede social aliada com ele.

O Pinterest funciona muito bem quando você trabalha as imagens dentro do seu site em formatos que chamam a atenção e estão muito bem nichados.

Veja essa imagem destacada do site da Melyssa Griffin, por exemplo.

O seu formato retangular foi especialmente criado para simular o tipo de imagem que melhor se adapta à plataforma.

Tendo esse tipo de cuidado em organização do seu perfil e conteúdos que compartilha vai ajudar bastante.

O que compartilhar

Uma boa forma de pensar sobre os conteúdos a compartilhar no Pinterest é seguir os modelos que já estamos falando em outras redes sociais.

Na rede social (ou sistema de busca), você compartilha uma imagem que possui um link. O link pode ser para a própria imagem ou então – idealmente – para o seu site.

Vale a pena compartilhar conteúdos próprios em meio também de conteúdos de outros. No Pinterest, você pode organizar conteúdos em Painéis e categorizá-los com palavras-chave.

Ao contrário das outras ferramentas que abordamos, aqui a quantidade de conteúdo compartilhado e adicionado nos seus painéis precisa ser um tanto quanto maior para que os resultados apareçam.

6 conteúdos por dia, por exemplo, pode ser um ponto de partida.

Boards

A ideia de criar painéis (ou boards) é chave na plataforma. Quanto mais nichados forem seus painéis, mais relevantes serão para que outros o compartilhem.

Além disso, lembre-se sempre de adicionar palavras-chave, título e descrições completas para que seus “Pins” sejam vistos por mais pessoas.

O tempo inteiro tem pessoas procurando por inspiração no Pinterest. Se as imagens que adiciona chamam a atenção, os usuários vão querer conhecer mais e ir atrás do conteúdo completo no seu site.

Referências

WhatsApp Marketing

Podemos fazer uso do nosso WhatsApp como ferramenta de geração de tráfego para nossos sites também.

Mesmo que a maior parte das pessoas que estejam conectadas conosco sejam conhecidas, temos também os grupos.

Utilizando a lista de transmissão ou mesmo individualmente, você pode enviar algum conteúdo relevante a indivíduos ou empresas que possui o contato para te ajudar a legitimar.

A divulgação nos grupos de WhatsApp é um pouco mais seleta, mas mesmo assim pode ser importante. Muitas vezes estamos em grupos que não conhecemos todo mundo ou mesmo quem nos conhece não sabe bem o que fazemos.

Vez ou outra divulgar nosso trabalho para essa rede mais imediata é super bacana pois alguém alí pode se interessar e seguir o caminho desejado por você como sucesso no seu site.

Isto é, pode virar um(a) cliente, te recomendar para alguém, ler seus textos e por aí vai.

Referências

4 – Tráfego Orgânico

O tráfego orgânico pode ser seu maior aliado na busca por mais visitantes em seu site.

Uma boa estratégia de criação de conteúdo juntamente com a otimização para SEO gera uma visibilidade enorme.

Eu me baseio muito nesse tipo de tráfego aqui para a Iglu. A maior parcela de nossos visitantes, como você, vem de pesquisas nos sistemas de busca. Mais especificamente, do Google.

O legal do tráfego orgânico é que não pagamos por ele. Já o que não é legal é que ele normalmente demora pra acontecer de forma significativa e demanda muito esforço.

SEO

SEO, ou Search Engine Optimization (Otimização para sistemas de busca) é como chamamos a configuração dos nossos sites para melhor atender às expectativas dos mecanismos de busca, com o Google, na interpretação dos nossos conteúdos.

Ou seja, como temos que configurar nosso site e como devemos escrever nossos conteúdos para aparecermos nas pesquisas daquelas pessoas que queremos atrair pro nosso website.

Eu criei um artigo bastante completo sobre SEO, então vale a pena dar uma passada por lá para explorar como funciona melhor.

Vídeo

Assim como o Google, o YouTube, Vimeo e outras plataformas de vídeo funcionam como sistemas de buscas.

Isso significa que podemos aproveitar do tráfego orgânico da mesma maneira.

Se você está produzindo conteúdos em seus vídeos, os configure com as melhores práticas de SEO para que mais pessoas os assistam.

Ao mesmo tempo, adicione nas descrições dos seus vídeos links para seu website e até comente no vídeo que mais informações sobre determinado assunto podem ser achadas nos links da descrição.

Novamente, podemos fazer uso das terras alugadas para cativar visitantes às nossas próprias terras.

Audio

Podcasts, pesquisas por voz, bots e inteligências artificiais estão em alta. Isso significa que a forma de comunicarmos via áudio com as tecnologias e receber informações via áudio dos nossos aparelhos é algo que só tende a crescer e ficar melhor.

Podemos aproveitar disso de diversas maneiras.

Ao criar um podcast, por exemplo, de você lendo seus conteúdos do seu site e distribuí-lo no Spotify, iTunes, Soundcloud e outras dezenas de plataforamas, você está ganhando a possibilidade de ser encontrado organicamente.

Um indivíduo ouvindo o seu podcast ou a simples leitura do seu artigo ou conteúdo pode gostar e, com isso, querer saber mais entrando no seu site.

Ao mesmo tempo, você aproveita desse espaço para convidar as pessoas para tomar alguma ação específica no seu site.

Um exemplo bacana é o podcast Akimbo do Seth Godin. Em todo episódio do seu podcast ele convida nós ouvintes para entrar em seu site para olhar as notas do episódio e também deixar uma pergunta via (advinha?!) voz também.

5 – Tráfego Pago – Publicidade

Não tão curiosamente, quando usamos o termo “gerar tráfego” muitos colegas entendem imediatamente como o tráfego pago.

Essa forma de aquisição de visitantes para nossos websites é a mais popular, direta e rápida.

Quando a história era só offline, com propagandas na televisão, rádio, revistas e outros, era caro para um pequeno empreendedor ou empreendedora conseguir um espaço.

Hoje (na verdade já tem um tempo né), com R$ 50 podemos criar uma publicidade no Facebook, Google, LinkedIn, Instagram, etc.

Vou descrever brevemente algumas estratégias de tráfego pago juntamente com a exposição dos mais populares.

Google Ads e a lógica da publicidade paga

Sabe aqueles links com uma marcação de anúncio que ficam no topo do Google quando você faz uma pesquisa?

Você e seu site podem aparecer ali por um valor não tão alto.

A ideia é seguinte. Imagina, por exemplo, que você tem um website no qual oferece consultoria de vendas.

Você entra lá no painel do Google Ads e fala o seguinte:

“Eu pago até R$ 2 para que quando alguém pesquisar por consultoria de vendas no Google eu apareça lá no topo.”

A disputa funciona como um leilão, então se alguém “der mais”, você não vai aparecer. Mas se esse seu lance for o maior, você aparece lá no topo.

Uma pessoa que está pesquisando no Google por consultoria de vendas provavelmente está procurando…bom…consultoria de vendas.

Logo, se você é a primeira opção que aparece será provavelmente também o primeiro a ter o site visitado.

Essa oportunidade de talvez ter um cliente vale esses R$ 2? Aí é preciso entender alguns conceitos rápidos.

  • CPC: Custo por clique
  • ROI: Retorno do investimento
  • Taxa de conversão: Quantos visitantes que clicaram viraram clientes

Agora, podemos fazer a conta. Imagine que seu CPC é R$ 2, o valor da sua consultoria é R$ 1000 e sua taxa de conversão é de 1%, ou seja, um a cada 100 cliques leva a fechar uma venda. Vale a pena? Para saber, vamos olhar o ROI.

100 cliques vezes R$ 2 = R$ 200

R$ 1000 menos R$ 200 = R$ 800

R$ 800 é um valor que faz sentido para você realizar essa consultoria?

Basicamente estamos comprando um cliente por R$ 200. O que muitas vezes vale a pena.

Resolvi utilizar o Google Ads como exemplo da lógica da publicidade paga pois a maior parte dos sistemas vai utilizar um formato similar. Pode ser que você seja cobrado por clique, por visualização da sua publicidade ou até mesmo por tempo. Mas no fundo temos sempre que fazer esse tipo de análise de Retorno ao Investimento.

Naturalmente, essa análise só pode ser feita com dados e, por isso, sempre temos que testar.

Pra quem o Google Ads é bom

Conheço empresas gigantescas que utilizam o Google Ads como sua principal fonte de tráfego e também profissionais freelancers.

Inclusive, conheci um veterinário que faz o seguinte. Domingo e segunda ele “liga” suas publicidades no Google para atendimento em casa de pets. Nesses dias iniciais da semana ele faz a sua agenda completa da semana e “desliga” as publicidades quando não tem mais tempo.

É um valor que ele paga para sempre ter clientes.

Ou seja, no fundo apenas testando que você poderá saber se é bom ou não para o seu mercado ou nicho. Mais especificamente, saber se é bom para o preço que você cobra pelos seus serviços ou produtos.

Agora, fazer Google Ads só para ter mais visitas no seu blog eu não sei se é uma boa ideia. Pode ser que tenha uma estratégia de conteúdo super bem definida e que lááá na ponta o ROI é positivo. Aí, manda ver. Mas definitivamente não é algo simples.

Referências:

Facebook e Instagram Ads

Minha primeira publicidade online foi no Facebook Ads lá em 2013. Desde então considero a forma mais simples e efetiva para gerar quantidade de tráfego por um valor baixo.

O custo da publicidade no Facebook e Instagram normalmente é menor do que no Google. No entanto, as pessoas que clicam, em geral, não estão procurando o que oferecemos.

No Google, há uma procura intencional por parte do usuário por algo. No Facebook a pessoa tá de bobeira e vê nossa publicidade.

Podemos chamar isso de “preparação para compra do lead”. Em outras palavras, o quão perto de fazer uma compra ou executar a ação desejada no nosso site esse prospecto cliente está.

Testar, novamente, é o caminho. Porém, já que o custo é um pouco mais baixo aqui, podemos fazer uso desse tipo de publicidade para gerar tráfego para nossos conteúdos mesmo que não buscando algo imediatamente que não nos fazer conhecidos para alguém.

Estratégias de gerar autoridade com o nosso conteúdo são bem válidas. Branding.

No entando, o Facebook funciona muito bem também para E-commerces, negócios locais físicos e infoprodutos.

Referências:

LinkedIn Ads

Acima comentamos que no LinkedIn adicionamos muitas informações sobre nossa história e sobre o que fazemos.

Não surpreendentemente, a plataforma usa dessas informações para oferecer nosso contato para empresas ou indivíduos.

A quantidade de informações possibilita atingirmos, agora como anunciantes, pessoas bem específicas que podem ser nosso público alvo.

Pode ser tão específico que eles disponibilizam o tipo de publicidade “Mensagem”. Isto é, quer mandar uma mensagem no chat para ‘Donos de empresas do ramo de design em são paulo’? É possível.

O valor, consequentemente, desse tipo de abordagem é um pouco mais alto.

Mas pode valer muito a pena dependendo do seu nicho. Vale o teste!

Referências:

Outbrain, Taboola e similares

Sabe quando você entra num blog ou portal de notícias e lá no final depois do artigo tem uns 6 blocos de links tipo “Novo método de emagrecimento faz você perder 15kg em dois dias”?

Bem-vinda(o) ao talvez mais barato tipo de publicidade que ainda é bacana online. Eu brinquei com o tipo de título chamativo pois é o mais comum nesse tipo de publicidade. Milhares de websites grandes colocam essas publicidades abaixo de seus artigos para ganhar um pouco de grana.

Então, o alcance é enorme. Porém, a qualidade dos visitantes é, vamos dizer, fraca em comparação aos outros anteriores.

Significa que é ruim?

De jeito nenhum. O volume, muitas vezes, faz valer a pena. Porém, começar a distribuir seu site nesse tipo de publicidade não é barato pois é necessário um investimento inicial alto. Há um tempo atrás um cliente me informou que o mínimo de investimento para um desses era de dez mil reais.

Referências:

6 – E-mail e tráfego direto

O tráfego vindo de e-mails que enviamos e o tráfego direto – aquele que acontece quando alguém digita o endereço do site diretamente no navegador e aperta ‘enter’ – tem algo em comum:

Ambos acontecem porque somos já conhecidos.

Esse tipo de tráfego é super importante. No caso do tráfego direto, acaba que a melhor estratégia para fazê-lo crescer é através da consistência na criação de novos conteúdos.

Toda semana eu abro pelo menos uma vez o site Producthunt. Eu faço isso porque sei que sempre tem novidades e, mutas vezes, as novidades me interessam.

Já no caso do e-mail, existe uma série de ações que podemos fazer. Para começar, precisamos coletar os e-mails dos nossos visitantes. Em seguida, usamos estratégias de e-mail marketing. Como é um tema complexo, criei esse artigo só sobre o assunto.

A dica aqui é sempre mantermos um relacionamento com nossa lista de e-mail. Buscando gerar valor com nossos conteúdos e fazendo a conexão via links com artigos em nossos sites.

Como as pessoas da lista já nos conhecem, fortalecemos ainda mais a relação através dessas ações.

7 – Referências, parceiros e influencers

Para finalizar esse “pequeno” artigo, vamos para o tráfego vindo de outros sites, indivíduos ou parceiros.

Aqui englobamos redes sociais, e-mails, plataformas de vídeos e outros sites. Todo o tráfego que vem através de uma recomendação de outra pessoa ou empresa para nós.

Esse tipo de tráfego pode ser super importante!

Existem diversas estratégias e vou citar algumas juntamente com referências para você explorar.

Referências ou Referrals

Sempre que alguém cria uma página na web e adiciona um link para uma página em nosso site estamos ganhando um backlink.

Esse tipo de link nos ajuda – em geral – para que nosso site ganhe relevância orgânica e também pode ser uma fonte de tráfego grande.

Naturalmente, quanto maior o site que nos indica maiores também esses efeitos.

Se o seu conteúdo, produtos que vende, serviços que oferece ou website geral for bom, links assim aparecem com o tempo.

No entanto, podemos ir atrás de parcerias para aumentar e crescer isso com mais velocidade. O termo mais usado para isso é outreach – uma forma de link building, ou construção de links. Vou deixar algumas referências bacanas:

Parceiros

Ter parceiros é muito bom. São pessoas ou empresas que apoiam nosso trabalho e nos recomendam.

Seja via e-mail, redes sociais, em seus websites, em eventos ou até no boca a boca, podemos conseguir bons resultados ao trabalhar nossa rede de contatos para divulgar nossos websites.

A dica aqui é fortalecer a conexão com parceiros trocando links, recomendações e buscando crescer juntos.

A criação de conteúdos ou produtos juntos também é uma excelente alternativa.

Influenciadores

Por último, temos um tipo de tráfego que normalmente é pago e está bem em moda. O uso de pessoas influentes e profissionais que tem como negócio um perfil social, um canal e/ou um website muito popular.

A recomendação de alguém já legitimado conta muito!

Podemos aproveitar desse tipo de recomendação e decidir pagar um Youtuber em vez do Google Ads para gerar um tráfego bacana, do nosso público alvo e bem qualificado.

Tudo começa com uma pesquisa dos influenciadores mais relevantes. Aqueles que falam para o mesmo público que você deseja atrair para seu site.

Em seguida, começam as conversas para entender se faz sentido a divulgação, quais são os números de engajamento desse(a) influencer e qual é o valor.

Lembro aqui que testar pode ser um pouco mais caro, mas ainda assim vale a pena. E não deixe de observar e analisar o ROI.

Algumas referências para se aprofundar:

Conclusão

Em fim chegamos à conclusão desse artigo completo sobre como gerar tráfego e divulgar o seu website.

Quero te pedir para deixar um comentário contando suas impressões, dúvidas, críticas e/ou sugestões.

Divirta-se!

Gostou do artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
André Lug

André Lug

Apaixonado por design e desenvolvimento de websites. De vez em quando gosta de escrever sobre produtividade, como é ser um freelancer e algumas reflexões da vida.

2 Comentários

  1. boa noite,
    obrigado por sua indicação de material sobre a Digital Ocean, no momento estou em vias de mover meus site para uma hospedagem mais profissional , estou na locaweb que tambem me oferece VPS, gostei de sua indicação para a digital Ocean mais gostaria de saber o que acha de colocar um site em um servidor fora do Brasil ja que meus clientes seriam do Brasil…

    1. Bacana Roberto!

      Em termos de velocidade não há tanto problema pois a parda pela diferença de distância geográfica, na maior parte das vezes, não é maior do que o que você ganha com um serviço melhor. No entanto, há algumas soluções bacanas nacionais, como a Umbler (https://www.umbler.com/br/seja-bem-vindo?u=rj00xd5j) e também pode utilizar a Amazon Web Services (AWS) e criar uma instância de hospedagem na localização São Paulo.

      Das hospedagens nacionais, não posso recomendar a Locaweb. Cara, serviço antiquado, burocrático e o atendimento é enrolado.

      Uma opção que tenho gostado muito (valor bom e ótima performance) é o GreenGeeks: https://www.greengeeks.com/track/andrelug . Além de tudo, eles se preocupam um pouco mais com o meio ambiente.

      Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou?

Junte-se às mais de 2 mil pessoas que acompanham as novidades no mundo do design e desenvolvimento web!