Seja você um designer, programador, escritor, marqueteiro (freelancers em geral) ou um cliente, imagino que já tenha ouvido falar dos serviços de concursos ou concorrência online (Contests). Sites como DesignCrowd, Freelancer, CrowdSpring, Workana, Indeed ou 99designs, entre muitos outros, se firmaram no mercado atual e estão cada vez sendo mais considerados pelos profissionais de design, programação, marketing e letras.

Seja você o profissional ou o cliente, esse tipo de site em algum momento pareceu ser atrativo. Ou pelo menos você teve alguma curiosidade a respeito deles. Para os novos profissionais liberais e freelancers, esse tipo de site de concursos representa uma promessa da aquisição de clientes com pouco esforço. Para os clientes, a possibilidade de conseguir um trabalho por preços muito baratos por trabalhos de qualidade e, em alguns casos, até possibilidade de escolher o trabalho que mais gosta entre alguns profissionais – especialmente no ramo do design.

Parece muito para ser verdade? É por que realmente não é verdade.

Independentemente de que lado você está, cliente ou profissional, não há como ignorar os problemas, perigos e até maldades desse tipo de forma de contratação. Vamos dar uma olhada então em alguns pontos a se considerar. Apesar deles parecerem divertidos e interessantes a um primeiro olhar, nem sempre é o caso.

Observações

Existem dois tipos de serviços de concursos ou concorrência:

1- Concursos feitos através de uma proposta de trabalho. Nesses casos, os profissionais criam uma proposta de trabalho, que pode ser mais ou menos detalhada, juntamente com um valor pelo qual fariam o trabalho.

2- Concursos em que você já tem que produzir o trabalho e o cliente apenas escolhe o trabalho e apenas o profissional que o realizou receber o dinheiro. Comummente presente no mundo do design, ele é chamado de Design Contests.

Muitos dos pontos desse artigo irão focar no segundo tipo e ele é mais comum entre concursos de design online.

Para Profissionais

1- Existe uma grande chance de você não ser pago

De acordo com algumas fontes online parece que a chance de se ganhar um concurso desses varia de menos de 1% a 10%.

Especialmente para aqueles serviços do tipo 2 (como explicamos acima) imagina trabalhar duro e produzir 100 designs. Considerando que um design, como um logotipo, leva pelo menos umas duas hora para ser feito (no formato “fast food”), são pelo menos 200 horas nesse processo. Contudo, só será pago entre 1 e 10 dos 100 se você tiver sorte. Considerando a média de 5% de chance de você ganhar um concurso desses…não parece muito bom ne?

Além disso, mesmo que o pagamento seja garantido existe a possibilidade de um concurso desses ser abandonado e aí ninguém é pago pelo trabalho completo.

O design de uma logo no 99designs, por exemplo, hoje tem a média de uns 500 dólares. Se a gente pensar que um designer médio ganhará 5 de 100 enviados, o total são 2500 dólares. Isso hoje no convertendo para Real daria algo em torno de R$ 8,000,00 por 200 horas trabalhadas – ou R$ 40,00 por hora. Parece um valor bem bacana, mas se você parar para pensar, cada logotipo custou R$ 80,00!

Estamos falando aqui apenas de um trabalho feito às pressas com o pressuposto que existirá uma demanda por logotipos constante, algo que no mundo real não funciona bem assim. Também, sem contar com o tempo de preparar tudo, enviar as propostas e outros serviços que, como freelancers, devem ser feitos pelo próprio profissional.

Algo importante a se lembrar é que como profissionais autônomos tudo que nós temos é nosso tempo para oferecer nossos serviços. O tempo é muito valioso para se gastar sem ser compensado adequadamente.

2- Nenhuma indústria trabalha dessa maneira

Já pensou chegar em um bar e pedir 10 bebidas diferentes? Você testa cada uma delas e decide comer apenas uma delas. Chegando na hora de pagar a conta você paga apenas por aquela que você comeu.

Não é bem assim que funciona, né? Mas é essa lógica que vem funcionando para os serviços do segundo tipo que mencionamos ali em cima. Nenhuma outra indústria aceitaria algo assim pois sempre irá significar trabalhos realizados sem serem cobrados. Você não pode pedir para um prestador de serviço ou uma empresa realizar um trabalho e depois de feito decidir que não quer pois outro fez o mesmo trabalho e você gostou mais.

Isso apenas acontece quando há um certo desrespeito pela profissão que é compactuado por profissionais que aceitam se submeter a esse tipo de lógica seja por necessidade ou preguiça.

3- Sites de concursos barateiam os preços dos trabalhos

Os profissionais freelancers muitas vezes têm “chutam” preços para a realização de trabalhos em sites de concorrências. Isso é porque as descrições normalmente não são bem feitas ou completamente bem explicadas. Não é culpa do cliente, pois ele mesmo não sabe exatamente o que falar já que em uma reunião presencial com um profissional autônomo é o profissional que vai fazendo as perguntas corretas para que a estimativa de esforço seja correta.

Esse tipo de situação normalmente leva a um barateamento dos serviços pois há um certo desespero na vontade de ganhar na concorrência e o preço, juntamente com a reputação dos profissionais, é decisivo. Uma vez que esse processo se repete várias vezes, não só vários clientes começam a achar que o valor de um serviço é menor do que ele realmente é, quanto novos profissionais tomam esses valores como base e os aceitam.

4- Concursos podem ser viciantes

Participar de concursos e competições com concorrência, igual esses serviços, é ao mesmo tempo frustrante e excitante. Muitas vezes é como jogar em um cassino pois nem sempre é a habilidade que conta, mas sorte. E isso não é muito bom pois vicia.

A felicidade e entusiasmo de ganhar uma vez pode gerar ânimo para ficar algum tempo na tentativa, que por sua vez começa a frustrar. Aí depois de um tempo desanimado, você ganha novamente e volta a ter esperanças.

Esse tipo de alto e baixo é bem similar ao efeito de várias drogas e jogos de azar. Sempre esperando o alto novamente!

5- É um atalho preguiçoso

Se você é um estudante ainda, com pouca experiência ou está começando e precisa trabalhar mais no seu portfólio, realmente esse tipo de serviço online pode ser uma boa saída. Ou mesmo se a economia não está em seus melhores momentos e há a necessidade de buscar outras alternativas. É bem compreensível que saídas como essas sejam interessantes.

Contudo, talvez ainda assim os concursos e competições não sejam a melhor saída. São uma forma fácil de se conquistar trabalhados. Note por favor que não estou falando que eles são fáceis por que não demandam muito trabalho. Como vimos acima é necessário um enorme esforço e horas de trabalho. Contudo é uma solução preguiçosa uma vez que não requer muita criatividade para solucionar um determinado problema.

Você pode sentar em casa e entrar em vários concursos e competições clicando e clicando e clicando. Não há risco.

Em contraste, se você se coloca em contato com clientes reais, é uma experiência muito mais complexa, difícil e desafiadora. Pensar sobre nosso marketing não é fácil, mas temos algumas dicas aqui de como você pode melhorar seu marketing pessoal.

Fazer network é difícil. Trabalhar seu marketing online demora. Receber os duros feedbacks de clientes cara a cara é bem complicado as vezes. Trabalhar potenciais clientes e transformá-los em reais clientes é um processo delicado e mesmo com tudo isso você ainda pode ser rejeitado. É difícil.

Mas você deve fazer isso. É o melhor jeito de se construir uma carreira como freelancer ou autônomo, uma reputação e um negócio de verdade.

Conclusão

Pelo que escrevi acima deu para perceber que não sou muito fã desses serviços de concursos e competições para se adquirir clientes e trabalhos. Mas não quer dizer que não respeite tanto os próprios serviços quanto os profissionais que se dedicam a eles.

Acredito que cada um de nós tem uma forma de olhar para os desafios e oportunidades. Com certeza há quem se dá muito bem e aquelas outras pessoas que nem tanto. Esse artigo serve muito para quem está buscando mais informações e principalmente para quem quer dar uma chance para eles. Quanto mais informações, melhor. Nem tudo são mil maravilhas.

Trabalhe nesses serviços “fast food” quando preciso, só não sugiro se deixar levar demais por eles.

Agora…se você é um cliente está na dúvida se deve ou não utilizar esses serviços, aqui vão mais alguns pontos para considerarmos.

 

Para Clientes

1- Não há briefing

Alguns serviços online são piores do que outros. Em geral as perguntas básicas como escopo e descrição da empresa ou projeto estão lá, mas muitas vezes deparamos apenas com um campo de descrição e um de preço. Isso sem muitas informações ou moldes de como expor as necessidades.

Se tem algo que é tão necessário para a realização plena de um trabalho quanto uma boa descrição prévia do que deve ser feito, para quem deve ser feito e como deve ser feito. O briefing não é brincadeira e, se mal feito, pode causar péssimos resultados.

Já vi briefings com mais de 5 páginas e mais de 50 perguntas diferentes. Pode parecer muito, mas é importante entender exatamente o que o cliente busca, quem são os concorrentes, como o projeto ou empresa do cliente é diferente, qual a mensagem que deve ser passada, etc.

Esse nível de detalhe não pode ser passado com algumas simples perguntas online que o cliente preenche sem saber de sua importância ou mesmo como sem saber como descrever suas necessidades.

2- Mais designs não é melhor para você

Pegando como exemplo novamente um exemplo do 99designs. Por US$ 500,00 você pode receber cerca de 60 designs diferentes para um logotipo. Escolher entre 60 marcas diferentes é um processo complicado, mas é possível. Agora pense no designer. Cada um desses 60 designers não gastou muito tempo para pensar na sua marca. Provavelmente escolheu um template online e colocou seu nome na fonte que ficou mais legal e te enviou pois, assim como um fast food, não dá para fazer algo customizado para um cliente senão não é possível bater as metas de produção considerando a chance de ganhar um concurso desse – como vimos acima.

Fazer um design de uma logo é um processo que não só leva “tempo criativo” de introspecção e imaginação, mas também tempo de produção de algo realmente único. Pelos mesmos US$ 500,00 você poderia contratar um design diretamente que fará o mesmo trabalho com o seu projeto sendo cuidado com o maior carinho.

3- Profissionais estão desesperados para ganhar

Se você está contratando um serviço e lê essa frase acima, pode ser que até ache interessante para seu negócio. Os profissionais trabalharão duro para que tudo saia bem. Bom, na verdade não é bem assim.

Pessoas desesperadas fazem coisas desesperadas. E nem sempre as coisas desesperadas serão no melhor interesse de seus clientes. Não necessariamente o profissional irá discutir utilizando seus conhecimentos para que a solução seja a melhor. Muitas vezes o que eles irão buscar é apenas em finalizar o trabalho, pegar um feedback bom e continuar tentando ganhar mais projetos. O fato desse tipo de relação entre profissional e cliente ser mais distante dificulta o designer, programador ou qualquer outro tipo de profissional realmente se colocar na mentalidade de fazer o melhor trabalho possível.

Um bom freelancer é aquele que desafia o cliente nas suas percepções oferecendo soluções e não simplesmente aceitando o que o cliente pede com um “sim senhor” ou “sim senhora”.

 

4- A qualidade do trabalho é muito pior

Pensando naquele segundo tipo de concurso, especialmente os de design, que falamos acima, lembra que é basicamente um jogo de números e probabilidade para os profissionais? Eles devem produzir uma infinidade de projetos para ganhar uma pequena porcentagem, então eles não poderão gastar muito tempo pensando em seu projeto.

Coisas bem feitas demoram mais tempo mesmo para se fazer. É inevitável.

Se esses designers estão produzindo centenas de logos (ou qualquer outro tipo de projeto) por mês, a chance do trabalho ser apenas uma derivação de outro ou mesmo um template com o nome da sua empresa escrito em cima é grande. Eles não podem gastar tempo pensando na sua empresa ou projeto. Eles devem correr e fazer o maior número possível com o intuito de bater as metas para que a probabilidade os ajude.

Se você conhece alguém que fez uma identidade visual num site de concurso pergunte sobre as opções oferecidas. A maior parte é ruim ou simplesmente inaceitável. Alguns podem ser melhores e se der sorte pode ter até algum muito bom.

Parte disso remete ao ponto que falamos acima no qual o cliente normalmente que fala o que quer diretamente e o designer serve mais para executar. E, sem ofensas, a maior parte dos clientes não são designers e não saberiam o que é melhor para a identidade visual de suas empresa.

No final das contas decisões ruins são tomadas o tempo todo já que o designer (ou qualquer outro profissional nessa situação) provavelmente não está ligando muito para o resultado.

 

5- Seu projeto não será original

É complicado falar sobre esse assunto, mas na realidade é algo que acontece com mais frequência do que imaginamos. Em geral nesses concursos os projetos feitos acabam derivando de um desses jeitos:

  1. Roubo do design, código ou texto de outras pessoas
  2. Reciclagem de algo já feito anteriormente pelo profissional
  3. Uso de templates ou projetos comprados para serem usados em massa

Nenhuma dessas opções são ideais quando pensamos no que um bom profissional faria ao lidar diretamente com o cliente em um projeto sério. Contudo, nos concursos, competições ou concorrências online o objetivo é produzir igual “fast food”. Com velocidade, padronização e pouca qualidade.

 

6- Você não conhece o profissional

O profissional que você acabar contratando pode ser uma excelente pessoa, com um currículo e experiência invejável e o melhor profissional disponível. Mas normalmente esse tipo de profissional não está utilizando os serviços que estamos falando nesse artigo.

O designer ou programador pode ser uma criança. Pode ser que seja o primeiro projeto da vida dessa pessoa.

É bem capaz que a pessoa seja de um país que tenha uma vantagem cambial competitiva, como Índia ou Paquistão, e a linguagem seja uma barreira complicada no processo. Isso por só não seria um problema, mas se você parar para pensar você não só não está contribuindo para sua economia local mas, principalmente, há chances do produto final ter uma diferença cultural grande no momento que se depara com o seu mercado.

Alguns símbolos e formas podem significar coisas bem diferentes dependendo de onde você está no mundo.

Você pode acabar com um site com um código que foi comentado todo em Chinês. Imagina na hora de você dar manutenção nesse site. É algo a se pensar também.

 

7- Pode haver até problemas no resultado final

As vezes o projeto final é até bonito e bem aparente, mas quando você começa a mexer nele percebe que foi construído todo errado. Seja um site ou uma peça de design, existe a possibilidade de ter sido mal feito, sem padronizações, comentários ou formatos corretos. Um profissional junior muitas vezes não vai saber o formato correto de entregar um logotipo. Um programador iniciante pode esquecer da segurança do seu site.

Aconteceu com um conhecido meu.

Ele pediu um website por um desses serviços. O preço nem foi tão baixo, mas foi um pessoal da Ásia que executou. Quando ele pediu um profissional de confiança aqui no Brasil para conferir, basicamente tiveram que jogar o produto inteiro no lixo pois haviam falhas de segurança tão sérias que eles iriam perder muito dinheiro se lançassem o projeto no ar.

Alguns exemplos de problemas que podem acontecer com design:

  • Esquecer de delinear as fontes nos logotipos
  • Esquecer de adicionar marcas de corte e um espaço para a impressão nos arquivos de PDF
  • Não usar CMYK para arquivos de impressão
  • Errar na escolha da resolução

E por aí vai…

Se você quer que algo seja feito corretamente, contrate alguém diretamente que suas chances serão muito maiores de sucesso.

8- Você acaba gastando mais com os sites de concursos de projetos

Já aconteceu comigo e com muitos colegas de chegar um cliente precisando que o site, design ou projeto seja refeito pois veio com muitos problemas após participarem desses serviços de competição de trabalho online.

O pessoal do exemplo que dei acima mesmo perdeu uma quantidade de dinheiro bem grande por ter que jogar no lixo uma plataforma web que estavam criando. Isso não só atrasou o cronograma deles como gerou um prejuízo enorme.

Se você quer mais segurança financeira, não é uma boa ideia também ceder à tentação de vários profissionais oferendo seus trabalhos feitos às pressas a você.

 

Concluindo

Eu imagino que exista muitos bons profissionais que hoje se dedicam a conquistar clientes por meio de sites de competição e concursos online. Também acho que esses profissionais estejam felizes com suas situações e até tenham uma capacidade de ganhar mais do que as porcentagens mencionadas acima.

Mas mais do que isso eu acredito que a maior parte dos participantes não estejam nessa classificação.

A contratação pessoal de um profissional autônomo / freelancer é mais benéfica em todos os sentidos para os dois lados da moeda. Para os profissionais, eles ganharão muito mais pela sua hora. Para os clientes, provavelmente pagarão o mesmo preço por um produto ou serviço cuja probabilidade de sucesso é muito maior.

Nesses sites de concurso temos que lembrar que quem realmente sai bem são os seus donos e uns gatos pingados que têm sorte.

 

Se esse artigo te ajudou na sua decisão, comente abaixo e nos conte sua experiência ou dúvidas.

Esse artigo foi baseado em um outro artigo do website Apexcreative. Agradeço a autora Sheila por autorizar a adaptação no nosso idioma Português – com umas adições minhas, naturalmente! 🙂

Divirta-se!

Autonomia Profissional Banner